PM Jucurutu
15/07/2016
Por Walter Clemente às 09:10h.

Projeto Jucurutu Unido Contra as Drogas participa de Fórum para discutir políticas públicas sobre drogas no Seridó

A Psicóloga .... foi a mediadora do Grupo em que estava representantes do JUCOD, e apresentou o caso relato pelo Projeto

A Psicóloga, Salma, do CREAS da Cidade de Parelhas, foi a mediadora do Grupo em que estava representantes do JUCOD, e apresentou o caso relato pelo Projeto

Durante toda o dia desta quinta-feira, 14, foi realizado, em Caicó, o “I Fórum da Rede Intersetorial de Políticas Sobre Drogas no Seridó”, do qual participou instituições voltadas à causa, de várias cidades da Região do Seridó.

A Cidade de Jucurutu, embora seja, geograficamente, localizada no Vale do Assu, mas, na prática participa ativamente do dia a dia da Região do Seridó, também esteve no evento, com representações de órgãos como o CREAS, CRAS, CAPS e Projeto Jucurutu Unido Contra as Drogas.

Os grupos eram compostos por profissionais de cidades e instituições diferentes

Os grupos eram compostos por profissionais de cidades e instituições diferentes

Durante o Evento, houve muitas falas, e também oficinas, em que grupos trabalharam situações enfrentadas pelos profissionais na rotina do trabalho. Em um desses grupos, foi apresentado um caso – que foi tratado de forma a não expor nomes de pessoas – que é acompanhado pelo Projeto Jucurutu Unido Contra as Drogas, com a parceria do CREAS da Cidade de Jucurutu.

Na oportunidade, todos os grupos apresentaram um Estudo de Caso, em que mostraram a realidade da situação, passando para os presentes quais as dificuldades, angústias enfrentadas, quando no trato com pessoas dependentes químicas, nas suas respectivas sedes e instituições.

De acordo com a organização do Fórum, este foi apenas o primeiro de muitos que haverão. Para os meses de agosto e setembro, já estão previstos novos fóruns em Cidades da Região do Seridó a serem escolhidas, para que o trabalho de prevenção e combate às drogas continue a crescer.


Compartilhe:
13/07/2016
Por Walter Clemente às 08:00h.

RN tem 4.855 casos confirmados de chikungunya; 15 pessoas já morreram

  Mosquito Aedes aegypti, transmissor de zika, dengue, chikungunya e febre amarela, é analisado em laboratório de Cali, na Colômbia  (Foto: Reuters/Jaime Saldarriaga)Casos de chikungunya aumentam no Ceará em 2016 (Foto: Editoria de Arte/G1)O Rio Grande do Norte já soma este ano 4.855 casos confirmados de febre chikungunya. É o que revela o mais recente Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde Pública. Ao todo, foram notificados 19.566 casos; 15 pessoas morreram. No mesmo período do ano passado, haviam sido notificados 4.745 casos, com 11 mortes confirmadas.

A Sesap informou também que uma particularidade chama a atenção da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige). É que 93% dos óbitos ocorridos este ano vitimaram indivíduos acima de 60 anos de idade, com predominância do sexo masculino (9 casos). Também se observou que o pico da doença este ano se estendeu até o mês de abril, enquanto que no ano passado o pico foi até fevereiro.

A 7ª Região de Saúde, que inclui os municípios de Extremoz, Macaíba, Natal, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante é a que concentra o maior número de casos. Na sequência aparecem a 2ª Região (Mossoró) e 4ª Região (Caicó).

A subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica, Maria de Lima Alves, explica que devido à suspensão dos kits com os testes pelo Ministério da Saúde no período de março a junho deste ano, os números podem ser alterados: “Podemos descartar alguns casos e também confirmar para outros agravos, como dengue e o vírus da zika”, afirmou.

Por G1RN


Compartilhe:
27/06/2016
Por Walter Clemente às 10:42h.

Detentos recebem atendimento médico dentro do CDP de Jucurutu

O atendimento médico aconteceu em uma sala do CDP de Jucurutu

O atendimento médico aconteceu em uma sala do CDP de Jucurutu

O CDP (Centro de Detenção Provisória) de Jucurutu recebeu, nesta segunda-feira, a presença de um médico, Dr. Daniel Brito de Queiroz, que fez atendimentos a detentos daquela Unidade Prisional.

A ação, segundo o Diretor, Reginaldo Gomes, é uma parceria daquele CDP com a Secretaria Municipal de Saúde de Jucurutu. O trabalho faz diminuir o problema de falta de viaturas e agentes penitenciários para escolta de presos até unidades hospitalares, uma vez que os atendimentos básicos de saúde podem ser feitos sem a necessidade de levar o preso até o hospital.


Compartilhe:
18/05/2016
Por Walter Clemente às 10:03h.

Drª. Emanuela Alves fala sobre o “Dia Nacional de Luta Antimanicomial”

13254455_617495805083765_6269606020264978005_n

Defenda você também essa reforma para que haja dignidade e garantia de direitos a este cidadão, que também é um cidadão, apesar da sua limitação.

Em meio a tantas reformas legais e administrativas discutida em todo o país, há uma que passa quase despercebida pelos que não estão na mesa de debate: é a reforma no sistema de atendimento psiquiátrico brasileiro. Apesar de lenta, ela tem avançado, e interessa diretamente aos brasileiros que buscam auxílio na rede pública de saúde, podendo alterar radicalmente o sistema de atendimento.

Há dez anos, desde quando foi apresentado no Congresso o primeiro projeto prevendo reforma no sistema de saúde mental do país, parece consenso que essas mudanças são extremamente necessárias. Depois dessa primeira proposta, surgiram diversas outras e o próprio Ministério da Saúde já criou uma comissão com exclusiva função de discutir a melhor maneira de realizar as mudanças. O que se pretende é instituir um tratamento diferenciado às doenças mentais envolvendo desde surtos psicóticos até uso continuado de drogas haja vista a maioria do destino dado a esses tratamento ser comum, sem levar em consideração à condições particulares de cada caso. Aplicações clínicas que vão desde eletrochoques (poucos mais AINDA utilizados) até o uso de drogas pesadas para controle das crises, impedem a reabilitação para reintegração social desses indivíduos e isso é um problema muito grande. Por isso tem se avançado em busca de medidas que vão desde o fechando hospitais psiquiátricos, buscando-se a implantação de leitos psiquiátricos nos hospitais regulares até ciclos de capacitação profissional, a exemplo do CAMINHOS DO CUIDADO – programa do Ministério da Saúde, na tentativa de modificar está realidade e minimizar os efeitos devastadores que esse tratamento comum pode gerar na vida dos pacientes  psiquiátricos como bem retrata o filme Bicho de Sete Cabeças, em que um usuário de drogas é internado em um hospital psiquiátrico após ser descoberto como usuário de drogas, uma internação forçada e que traz efeitos terríveis à vida do personagem interpretado por Rodrigo Santoro refletindo os efeitos devastadores de um atendimento/tratamento comum, sem critérios avaliativos efetivos. Vale a pena conferir.

Ainda há muito que se fazer, mas, a partir de informação podemos reivindicar os direitos dos nossos conhecidos amigos que têm doenças mentais na busca/luta por um tratamento/atendimento/reabilitação humanizados e dignos.

Defenda você também essa reforma para que haja dignidade e garantia de direitos a este cidadão, que também é um cidadão, apesar da sua limitação.

*Por Blog Edilson Silva


Compartilhe:
02/05/2016
Por Walter Clemente às 08:16h.

“Dia D” de vacinação contra gripe H1N1 foi um sucesso em Jucurutu

13083349_1162996683731862_1161903076195455659_n

Com informações da ASSECOM – Assessoria de Comunicação da PMJ/Prefeitura Municipal de Jucurutu/RN. Via Blog Edilson Silva

“O Dia D da campanha de vacinação contra a gripe H1N1, realizado neste sábado (30/04) em Jucurutu foi um sucesso! As Unidades Básicas de Saúde receberam grande participação daquelas pessoas que formam a população alvo da campanha”, contou Liane Araújo, secretária municipal de Saúde, informando que a campanha terá continuidade durante a semana. “É importante que as pessoas integrantes do público alvo da campanha procurem durante a semana o ponto de vacina mais próximo de suas casas para receberem a dose da vacina”, concluiu Liane.

O prefeito George Queiroz lembra que a vacina protege contra três subtipos do vírus da gripe: a influenza A – H1N1 e H3N2 e a influenza B. “Devemos ressaltar que a escolha dos grupos prioritários é uma recomendação da Organização Mundial da Saúde”, lembrou o prefeito. Devem ser vacinas crianças que tenham mais de 6 meses e menos de 5 anos, gestantes, mulheres que deram à luz há até 45 dias, trabalhadores da área da saúde, quem tem 60 anos ou mais de idade, quem tem doenças crônicas não transmissíveis ou outras condições clínicas especiais, como doença respiratória crônica, doenças cardíacas, renais, hepáticas ou neurológicas crônicas, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias.


Compartilhe:
13/04/2016
Por Walter Clemente às 05:58h.

FLORÂNIA: Em nota, Secretária de Saúde diz que caso de H1N1 não está confirmado

Danielle Gifoni

A Secretaria de saúde de Florânia, Danielle Gifoni, divulgou nota oficial a população sobre o caso envolvendo o Diretor da Escola Estadual Teônia Amaral, Guedes Azevêdo, que foi encaminhado em estado grave para natal e está internado com suspeita de pneumonia aguda e a gripe influenza H1N1. Danielle pede para que a população não entre em pânico, mas faz alerta aos cuidados que devem ser adotados.

“Venho por meio deste meio de comunicação, prestar esclarecimento à população a respeito de um paciente deste município que foi encaminhado para  o Hospital Giselda Trigueiro.

Informo que o paciente foi atendido em uma de nossas Unidades de Saúde, pela equipe de da ESF, composta de Médica, enfermeira e técnica de enfermagem.  O paciente deu entrada com forte cansaço, febre e com sintomas de gripe e foi encaminhado para o Hospital de Currais Novos, onde foi atendido e encaminhado para  o Hospital  Giselda  em Natal. O paciente fez exames e aguarda resultados, apesar de ter um quadro respiratório agravado, a maior  suspeita é de uma pneumonia aguda. Pedimos calma a população, pois não foi confirmado H1N1. Ao mesmo tempo  que devemos nos prevenir. Logo iremos  a rádio  junto à equipe da ESF para orientar  da melhor forma toda a população. Adianto que é necessário  o uso de máscaras e luvas  por parte dos profissionais que atendem a população. E a população que também deve se proteger, deve observar caso possuam sintomas de gripe com maior intensidade, procurando o posto de saúde mais próximo. Manteremos a população  informada.”

Danielle Gifoni

Secretária de Saúde

Via Tonny Washington


Compartilhe:
13/04/2016
Por Walter Clemente às 05:52h.

Diretor de escola de Florânia está internado com suspeita de gripe H1N1

Guedes-1

O professor universitário floraniense e Diretor da Escola Estadual Teônia Amaral, Francisco das Chagas Guedes de Azevêdo, está internado em estado grave no Hospital Giselda Trigueiro, em Natal.

De acordo com informações de familiares, Guedes está com suspeita de contaminação por vírus de gripe Influenza H1N1 ou pneumonia aguda. Foram feitos exames, mas o resultado só deve sair em 15 (quinze) dias.

A família pede orações!

Fonte: Blog Tonny Washington


Compartilhe:
20/02/2016
Por Walter Clemente às 19:39h.

Agentes penitenciários darão plantão de 24h no maior hospital do RN

Penitenciária Estadual de Alcaçuz (Foto: Ricardo Araújo/G1)

A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) do Rio Grande do Norte, responsável pelo sistema prisional potiguar, vai criar grupos de agentes penitenciários com formação na área da saúde para que trabalhem em escalas de plantão de 24 horas no interior do Pronto-Socorro Clóvis Sarinho, que faz parte do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, em Natal, a maior unidade médica do estado.

Segundo a assessoria de comunicação do governo, os grupos já devem começar a atuar em março. A medida foi anunciada após uma reunião realizada na manhã deste sábado (20) no Gabinete de Gestão Integrada Estadual (GGI-E), que fica no Centro Administrativo do Estado, e faz parte de uma série de ações que buscam melhorar as políticas públicas de saúde prisional nas próprias unidades carcerárias, de forma a garantir um melhor atendimento ao preso, sem a necessidade de deslocamentos e, consequentemente, sem riscos de fugas.

Participaram da reunião representantes das secretarias de Saúde (Sesap), Segurança Pública (Sesed) e da própria Sejuc.

Para a Sesap e Sejuc, ficou decidido que as duas pastas unirão forças para investimentos em reestruturação, aquisição de equipamentos e contratação de profissionais para a ala médica que funciona no interior da Penitenciária Estadual de Alcaçuz. A unidade, que fica em Nísia Floresta, na Grande Natal, é o maior presídio do estado.

“Vamos nos empenhar para habilitar, o mais rápido possível, a ala médica de Alcaçuz. Assim poderemos proporcionar um atendimento digno e seguro à comunidade carcerária. Para isso, vamos investir em equipamentos e buscaremos apoio da Secretaria Municipal de Saúde de Nísia Floresta e de universidades que tenham interesse em se integrar a esta proposta”, ressaltou Cristiano Feitosa, titular da Sejuc.

A Sesap também buscará, junto ao Ministério da Saúde, recursos disponíveis da política nacional de atenção integral a pessoas privadas de liberdade no âmbito do SUS. Desde 2014, o serviço de saúde no sistema prisional passou a ser ponto de atenção da Rede de Atenção à Saúde (RAS), qualificando a atenção básica no âmbito prisional como a principal porta de entrada do sistema e ordenadora das ações e serviços de saúde pela Rede. A transferência de recursos financeiros do MJ aos Estados está condicionada à habilitação de Equipes de Saúde no Sistema Prisional (ESP) previamente cadastradas no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES). Atualmente, o Governo Federal conta com duas linhas de financiamento nesta área, tanto para investimentos em pessoal, quanto em equipamentos.

“O objetivo é fazer com que o preso tenha o atendimento médico adequado nas próprias unidades. O deslocamento somente será realizado em casos de urgência. Após este atendimento, o preso deverá retornar imediatamente à unidade prisional onde receberá a continuidade do tratamento”, acrescentou Feitosa.

Fonte: G1/RN


Compartilhe:
05/02/2016
Por Walter Clemente às 07:09h.

RN notifica 1.820 casos suspeitos de dengue nos primeiros 30 dias de 2016

Aedes aegypti no laboratório da Oxitec, em Campinas. O mosquito é transmissor de doenças como a dengue, chikungunya e do vírus zika, causador da microcefalia (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)A Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap) divulgou nesta quinta-feira (4), o boletim do monitoramento dos casos dengue, chikungunya e zika vírus no estado. De acordo com a secretaria, entre 3 e 30 de janeiro, 5 mortes por dengue já foram confirmadas no estado, o que aponta um crescimento de 150% em relação aos óbitos registrados no mesmo período do ano passado.

Segundo os dados apresentados no boletim, 1.820 casos de dengue já foram notificados pela secretaria desde o começo do ano. O número representa um aumento de 37,57% nos casos notificados. No entanto, apenas 111 foram confirmados. No mesmo período, 221 casos de infecção por zika vírus também foram notificados, no entanto, todos ainda estão sendo investigados. Nenhum caso de chigungunya foi registrado pela secretaria.

De acordo com a Sesap, nove municípios do estado já apresentam alta incidência de dengue, tendo registrado uma média de 300 casos da doença por 100.000 habitantes. Apesar das cidades com alta incidência, a secretaria alertou para a falta de notificações em 104 cidades potiguares. De acordo com a própria Sesap, o dado pode indicar a ausência de notificações por profissionais da saúde dos casos suspeitos ocorridos nos municípios em questão.

 Ainda de acordo com a secretaria, devem ser notificados todos os atendimentos de casos suspeitos que se enquadrarem na definição do Ministério da Saúde. Segundo o boletim da Sesap, o Ministério da Saúde define como caso suspeito de dengue a “pessoa que viva ou tenha viajado nos últimos 14 dias para área onde esteja ocorrendo dengue ou que tenha a presença de Aedes Aegypti que apresente febre, usualmente entre 2 a 7 dias, e apresente duas ou mais das seguintes manifestações: náuseas, vômitos, exantemas, mialgias, artralgia, cefaleia, dor retroorbital, petéquias ou prova do laço positiva e leucopenia”.

No ano de 2015, um total de 6.640 casos suspeitos de zika e 4.076 de chikungunya foram notificados no estado. Do total, 73 e nove casos, respectivamente, foram confirmados.

Fonte: G1/RN


Compartilhe:
12/11/2015
Por Walter Clemente às 08:23h.

Secretaria de Saúde confirma 11 casos de microcefalia no RN

A Secretaria de Saúde do Rio Grande do Norte (Sesap) confirmou nesta quarta-feira (11) que o estado também registrou casos de microcefalia em recém-nascidos. O Ministério da Saúde decretou situação de emergência para investigar o aumento do número de casos diagnosticados em estados do Nordeste.

De acordo com os dados da Sesap, apenas em Natal, capital do estado, 11 casos da doença foram catalogados. As causas, no entanto, ainda não foram esclarecidas.

Segundo informou a assessoria de comunicação da Sesap, a equipe técnica da secretaria está reunida para mapear os casos já confirmados de microcefalia no estado. Os números serão compilados durante uma reunião realizada ainda nesta quarta, as 18h, com a presença do secretário de saúde, José Ricardo Lagreca. A divulgação dos dados ao público só deve ser feita após a reunião, que também vai discutir as medidas que serão adotadas para tratar dos casos.

Hipótese de ligação com zika vírus
Sobre a hipótese que tem sido discutida pela comunidade médica de que o aumento de casos de microcefalia poderia estar relacionado a infecções por zika vírus – vírus que foi identificado pela primeira vez no país em abril deste ano – os representantes do Ministério afirmaram que ainda é precipitado atribuir o evento a essa causa.

O vírus já foi confirmado em 14 estados brasileiros desde abril, segundo informação divulgada pelo Ministério da Saúde na semana passada durante seminário organizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

Segundo documento divulgado pela Secretaria de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SEVS/SES-PE), parte das mulheres que tiveram bebês com microcefalia apresentaram erupções na pele durante a gravidez. Apesar de este ser um dos sintomas do zika vírus, não há evidências suficientes para associá-lo à microcefalia, de acordo com o órgão.

De acordo com o ministério, entre os casos de microcefalia registrados recentemente, alguns são graves, no entanto ainda não é possível observar um padrão claro em relação ao grau de microcefalia mais frequente na situação atual.

Entenda o que é a microcefalia
Microcefalia é uma condição médica que se caracteriza por um crânio menor do que o tamanho médio, geralmente por causa de uma falha no desenvolvimento do cérebro. O problema pode estar associado a síndromes genéticas ou a outros fatores como abuso de álcool e drogas durante a gravidez ou a infecção da gestante por rubéola, catapora ou citomegalovirus.

Crianças que nascem com microcefalia podem ter o desenvolvimento cognitivo debilitado. Não há um tratamento definitivo capaz de fazer com que a cabeça cresça a um tamanho normal, mas há opções de tratamento capazes de diminuir o impacto associado com as deformidades.

Segundo o Instituto Nacional de Distúrbios Neurológicos e AVC dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos (Ninds-NIH), algumas crianças acometidas pela anomalia podem ter algun nivel de incapacitação. Outras podem se desenvolver de forma similar a outras crianças e ter inteligência normal.

Fonte: G1/RN


Compartilhe:
04/09/2015
Por Walter Clemente às 06:23h.

Jucurutu: Educador Físico fala sobre “Preocupação exagerada com a dieta e exercícios físicos”

11951851_708523069280452_7876848356712033820_n

Na imagem o Educador Físico, Junior Alves formado pela Faculdade do Vale do Jaguaribe em Aracati no Ceará

No #ProgramaEdilsonSilva que foi ao ar nesta quinta – feira, 03/09 pela Rádio Cidade FM de Jucurutu/RN o Educador Físico, Junior Alves Fernandes chamou atenção dos nossos ouvintes e internautas para o tema “Preocupação Exagerada com a Dieta”.

Cuidar do corpo e da alimentação é fundamental para ter uma vida saudável. O problema é quando isso se torna uma obsessão. A preocupação exagerada em controlar o que vai comer, que tipo de alimentos e a quantidade excessiva de exercícios físicos pode levar o indivíduo a certos transtornos como a ortorexia.

Estudos confirmaram que comer de forma saudável e fazer exercícios regularmente é necessário, porém quando isto se torna uma obsessão, é preciso ficar atento, pois pode vir a desencadear transtornos mais graves e que podem trazer sérios danos à saúde física e mental do cidadão.

Fonte: Blog Edilson Silva


Compartilhe:
15/08/2015
Por Walter Clemente às 07:13h.

Vacinação contra a pólio começa hoje (15) em Jucurutu

01

A Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite (paralisia infantil) começa neste sábado (15) com o “Dia D” e seguirá até 31 de agosto. A Campanha é voltada a crianças de seis meses a cinco anos incompletos. A Prefeitura de Jucurutu, por meio da Secretaria Municipal de Saúde informa que os postos de saúde dos bairros Novo Horizonte, Freitas e Santa Isabel, além da sala de vacinas do Hospital Terezinha Lula e o Centro de Saúde, estarão abertos das 7h ás 16h; já no distrito de Barra de Santana o atendimento será pela manhã; nas comunidades São Bento e São Braz os profissionais irão atender à tarde; já na Pedra do Navio será na parte da manhã e na Vila do Velame à tarde.

A ida ao posto de saúde também será a oportunidade para colocar a vacinação das crianças em dia, paralelamente à campanha contra poliomielite, os profissionais de saúde vão avaliar a caderneta infantil, alertando aos pais sobre as vacinas que estão vencendo ou em atraso. A vacina é extremamente segura e protege contra os três sorotipos do poliovírus 1, 2 e 3. De acordo com o Ministério da Saúde, não existe tratamento contra a poliomielite, por isso a prevenção é importância. A vacina só é contraindicada para crianças com infecção aguda, com febre acima de 38º C ou com hipersensibilidade a algum componente da vacina.

*Danilo Evaristo


Compartilhe:
10/07/2015
Por Walter Clemente às 08:31h.

Prefeitura premia agentes de saúde destaques em Jucurutu

11709711_995739120457620_236318206357051426_n

A Prefeitura de Jucurutu, por meio da Secretaria de Saúde, realizou trabalho de monitoramento junto aos serviços prestados a população do município pelos agentes comunitários de saúde e como forma de reconhecimento premiou os profissionais, que mais se destacaram no exercício da profissão. A premiação foi entregue nesta segunda-feira (06) na Câmara de Vereadores pelo secretário de Saúde, Leandro Ovídio.

Os agentes de saúde destaques de cada PSF foram:

Maria de Fátima – Com atuação na comunidade Riachão

João Lopes – Com atuação no distrito de Boi Selado

Damião Fideles – Com atuação no bairro Novo Rumo

Betânia Francisca – Com atuação no bairro Santa Isabel

Josilane Marinho – Com atuação no bairro Novo Horizonte

Maria Helenice – Com atuação no sítio Espinheiro

Rosa Maria – Com atuação no centro da cidade

Damião Márcio – Com atuação no sítio Espinheiro

Lúcia de Fátima – Com atuação no bairro Freitas

Maria Dilma – Com atuação no distrito Barra de Santana

Fonte: Edilson Silva

 


Compartilhe:
18/06/2015
Por Walter Clemente às 06:16h.

Sem unidade apropriada, RN mantém deficiente mental presa irregularmente

Ana Maria Laurindo tem 45 anos, e há quase 10 é mantida isolada em uma das celas do pavilhão feminino do Complexo Penal João Chaves, na Zona Norte de Natal (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

Ana Maria Laurindo tem 45 anos, e há quase 10 é mantida isolada em uma das celas do pavilhão feminino do Complexo Penal João Chaves, na Zona Norte de Natal (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

O sistema penitenciário do Rio Grande do Norte não dispõe de unidades adequadas para o acolhimento de criminosas consideradas inimputáveis, ou seja, não possui nem mantém um local para que as mulheres acometidas de alguma doença psíquica, desenvolvimento incompleto ou retardado intelectual, cumpram adequadamente as medidas de segurança impostas pela Justiça. É o caso de Ana Maria Laurindo. Ela, que tem 45 anos, há quase 10 é mantida isolada em uma das celas do pavilhão feminino do Complexo Penal João Chaves, na Zona Norte de Natal. Superlotada, a unidade mantém 90 mulheres em um espaço construído para receber no máximo 70.

“A Ana Maria ocupa uma cela sozinha. Isso para nós é um incômodo, porque poderíamos receber outras detentas já condenadas pela Justiça. Mas, como ela não tem para onde ir, fica aqui em um espaço que poderia ser utilizado por outras seis ou até sete internas”, observou a agente penitenciária Pascoaliana de Souza Alves, diretora do pavilhão.

Pavilhão Feminino do Complexo Penal João Chaves, na Zona Norte de Natal (Foto: Anderson Barbosa/G1)

A assessoria de imprensa da Secretaria de Justiça e da Cidadania (Sejuc), pasta responsável pelas unidades prisionais, informou que o órgão está providenciando um local adequado para a detenta, e garantiu que ela recebe todos os cuidados necessários com medicamentos e assistência médica.

A Sejuc informou também que, depois das rebeliões de março, a recuperação das unidades é a prioridade, até porque a demanda de presas com problemas mentais não é tão grande. Ainda segundo a secretaria, no pavilhão feminino do Complexo Penal João Chaves, por exemplo, são duas apenadas nessa situação.

Ana Maria tem 45 anos. Em 2004 ela matou o próprio pai com mais de 40 facadas. A mulher chegou ao pavilhão feminino dois anos depois, e desde então o único tratamento que recebe são doses diárias de Zyprexa e Seroquel, medicamentos indicados para esquizofrenia, e os também antipsicóticos Olanzapina e Risperidona, administrados para que ela não machuque outras pessoas nem atente contra a própria vida.

“Se ficar sem tomar os remédios ela enlouquece, fica batendo com a cabeça nas grades, nas paredes, e ninguém consegue segurá-la”, relatou uma das presas da unidade. “Ano passado, Ana Maria foi encaminhada para o Hospital Psiquiátrico João Machado, mas foi devolvida porque quebrou o braço de um enfermeiro”, acrescentou o juiz Henrique Baltazar, da vara de Execuções Penais de Natal.

Sem família, sem liberdade
Além do pavilhão feminino, Henrique Baltazar ainda visitou a Unidade Psiquiátrica de Custódia e Tratamento (UPCT), que também faz parte do Complexo Penal João Chaves. A unidade, que é exclusivamente masculina, possui 45 vagas e mantém 45 presos. Como a maioria dos alojamentos (como são chamadas as celas) são individuais, e os internos precisam ser mantidos isolados, não há superlotação. Lá, o problema é outro: os presos não saem. Sem acompanhamento médico, a maioria não evolui. E sem melhora, a medida de segurança é renovada.

“Falta uma equipe técnica adequada para acompanhar os doentes. Os internos não têm laborterapia, não têm o tratamento que deveria ter. É basicamente medicamentoso. Outro problema muito sério são os laudos que são feitos pelo Itep (Instituto Técnico-Científico de Polícia), que só tem um psiquiatra para atender a todo o estado. Então ele não consegue se dedicar aos inimputáveis que estão aqui no UPCT o tempo que seria necessário. Então o médico faz um laudo com base numa avaliação superficial, rápida. E como a unidade não tem uma equipe técnica completa, não há subsídios suficientes para que este médico possa trabalhar. É esta falta de pessoal, dessa equipe técnica fazendo este trabalho, que está resultando nesta situação”, observou o magistrado. “E nós também não vemos uma melhoria na saúde destes internos porque o tratamento é simplesmente feito à base de remédio, medicamentoso. Não tem laborterapia, nenhum tipo de terapia, na verdade, que possa conduzi-los de volta ao convívio da sociedade”, acrescentou Baltazar.

E ainda há casos de internos que não deixam a unidade porque não têm para onde ir. É o caso de João Batista Ferreira da Costa, de 48 anos, que é natural de São Gonçalo do Amarante. Faz um ano e meio que ele foi considerado apto para retornar a uma convivência social, mas sem família e sem ninguém que o acolha, ele permanece ocupando um dos alojamentos. João está no UPCT desde 2009. “O crime ele cometeu em 2000, quando derrubou a porta de uma casa, invadiu o imóvel e matou um homem a pauladas. Isso foi em Imperatriz, no Maranhão”, contou o juiz.

“Eu já autorizei a liberdade dele. A perícia médica atestou que João não oferece mais perigo para a sociedade. E como a medida de segurança acabou, ele precisa sair da unidade. Ele está oficialmente desinternado desde janeiro de 2014, mas continua encarcerado”, ressaltou o juiz.

No banheiro masculino, o espaço de um dos vasos sanitários virou depósito para material de limpeza (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

De acordo com Juliane de Souza Soares, vice-diretora da UPCT, a estrutura física é atualmente o maior problema da unidade. “Os banheiros são horríveis, assim como o alojamento dos agentes, que precisa de uma reforma”, afirmou. No banheiro masculino, o espaço de um dos vasos sanitários virou depósito para ferramentas e material de limpeza. No feminino, duas das três pias não têm torneiras. Já no alojamento, as paredes carecem de pintura, os beliches são velhos e os colchões estão mofados. “E ainda tem um problema sério que é a falta d’água, que é constante”, frisou Juliane. “Quando falta, é um transtorno. E quando tem, também é um problema. Se abrirmos as torneiras para a água subir para os corredores dos alojamentos, tem um sumidouro aqui que começa a feder e ninguém aguenta o mau cheiro”, acrescentou.

*G1/RN


Compartilhe:
07/06/2015
Por Walter Clemente às 06:37h.

Preso morre de tuberculose e diretor teme surto em penitenciária do RN

Nariane dos Santos Silva, de 31 anos, estava com tuberculose, segundo a direção do presídio (Foto: Divulgação/Penitenciária de Caicó)A morte de um preso infectado por tuberculose na madrugada deste sábado (6) deixou em alerta a direção da Penitenciária Estadual do Seridó Desembargador Francisco Pereira da Nóbrega, o Pereirão, em Caicó, no Rio Grande do Norte. O diretor da unidade prisional, Alex Alexandre, teme um surto da doença. A infecção foi confirmada pela equipe médica do Hospital Regional de Caicó, onde o detento Nariane dos Santos Silva, de 31 anos, estava internado desde o dia 30 de maio.

“Percebemos o preso em péssimo estado quando fizemos uma vistoria”, conta Alexandre, que recebeu um laudo médico atestando “um quadro clínico avançado de tuberculose pulmonar com pneumonia”. De acordo com o diretor, a vítima estava preso com mais 60 homens em um dos pavilhões da penitenciária. Uma equipe médica da prefeitura da cidade, segundo Alexandre, vai ao Pereirão na próxima terça-feira (9) para realizar exames nos outros detentos. “Existe a preocupação de um surto”, afirma.

O diretor do Pereirão explica que a doença só foi percebida no dia 30 porque a unidade ainda sofre com a destruição deixada após a onda de rebeliões que atingiu o sistema penitenciário potiguar em março deste ano, quando pelo menos 14 das 33 unidades prisionais do estado foram danificadas. “A ala em que o preso estava ainda não foi reformada e está sem grades, com os presos soltos, de forma que não vimos a situação do detento nem os colegas de cela falaram nada. Não sabíamos do problema dele”, acrescenta.

De acordo com Alex Alexandre, o preso respondia a processos por roubos e homicídios. “Os assassinatos foram cometidos dentro de presídios. Um deles aqui em Caicó. Era um preso perigoso”, ressalta o diretor do Pereirão. O óbito de Nariane dos Santos foi confirmado pelo hospital por volta das 4h deste sábado.

A Penitenciária de Caicó está superlotada. Com capacidade para 347 detentos, a unidade tem atualmente 550 homens encarcerados em cinco pavilhões.

Fonte: G1/RN


Compartilhe:
14/05/2015
Por Walter Clemente às 07:15h.

RN registra aumento de 283,44% nos casos de dengue em relação a 2014

Vídeo mostra mosquito Aedes aegypti no momento da picada (Foto: Sanofi Pasteur/Divulgação)

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio do Programa Estadual de Controle da Dengue, divulgou nesta quarta-feira (13) os novos números da incidência da doença no Rio Grande do Norte. Ao todo foram notificados 17.343 casos suspeitos de dengue no estado, o que representa um aumento de 283,44% em comparação ao mesmo período do ano passado. Do total de notificações, 1.995 casos foram confirmados. As informações correspondem a dados coletados até o dia 9 de maio.

Os cinco municípios com mais notificações foram Natal (4.718), Parnamirim (1.024),Mossoró (734), Ceará-Mirim (690) e Caicó(627). Quanto à incidência em dengue, 73 municípios apresentaram alta, 31 média, 45 baixa e 18 apresentaram incidência silenciosa.

O Programa Estadual de Controle da Dengue da Sesap vem realizando visitas técnicas aos municípios a fim de orientar as ações de prevenção e combate ao agravo. Além disso, para diminuição da transmissão da dengue onde há epidemia, vem sendo feita operação UBV (carro fumacê).

De acordo com a coordenadora do programa, Sílvia Dinara Alves, é importante que os municípios notifiquem os casos suspeitos da doença para que o planejamento das ações possa ser mais efetivo. Além disso, a Sesap orienta  que a população intensifique as medidas de prevenção e contribua com medidas simples, como não acumular lixo em locais inapropriados, manter a lixeira fechada, manter as caixas d’água e outros recipientes de armazenamento de água fechados, não deixar água acumulada sobre a laje ou calhas e colocar areia nos vasos das plantas.

*G1/RN


Compartilhe:
09/02/2015
Por Walter Clemente às 08:00h.

Médico critica a saúde pública de Caicó e afirma que ela não tem estrutura para salvar vidas

O médico caicoense, Dr. Elísio Galvão, usou seu perfil no Facebook para desabafar sobre a atual situação em que se encontra a saúde de Caicó. Confira o desabafo:

“Tento, mais não consigo , que falta de vergonha na cara desses gestores da saúde do Brasil , do nosso RN e principalmente do nosso Seridó e Caicó. Nossas mulheres estão morrendo a míngua e a vida ficando cada vez mais banalizada . Há poucos dias morreu uma, depois outra e hoje quase que me vai mais uma , mas felizmente Deus é bem maior que vocês autoridades sem coração. Após 12h de plantão sozinho, me chega uma paciente mãe de um filho e grávida de dois meses do segundo, queixando-se de dor em baixo ventre e sem sangramento vaginal, confesso que depois de velho e diabético, fiquei muito medroso.
Fui examinar a paciente que aparentemente tinha apenas uma ameaça de aborto, quando coloquei sobre o seu abdômen o que tenho de mais belo e sagrado que são minhas mãos, notei que se tratava de uma doença bem mais grave, chamei a família e comuniquei da necessidade de uma ultra-sonografia para que eu pudesse fechar meu diagnóstico de gestação nas trompas, a cada ligação mandavam esperar para amanhã, isso por volta das 19:00, até que dra. Creuzelina realizou o exame e comprovou minhas suspeitas e me dizendo da grande urgência que estava acontecendo, providenciamos sangue, preparamos o centro cirúrgico, pedi ajuda do Dr. José Fernandes, que de imediato chegou e iniciamos o procedimento já com a paciente chocada e sendo equilibrada pelo Dr. Pedro, anestesiologista e pela equipe de enfermagem do hospital, aqui faço referência a Cledina e Marinho. Com toda essa urgência o respirador não funcionava, o anestesiologista pedia uma medicação e só recebia não e sempre repetindo “por isso ninguém quer vir trabalhar no interior e DEUS não ajuda a quem trabalha no interior, eu pensando ele está enganado , pois Deus está sempre aqui com a gente, se Deus não estivesse aqui seria pior que os conflitos do oriente médio, na verdade o que falta é vergonha na cara de um bando de canalha que nós mesmo colocamos no poder e de um bando de profissionais medíocres e prostitutos que calam e tem medo dos patrões diante de tamanho descaso. Esta, nós conseguimos salvar, deixei meu plantão e fui deixa-la na U.T.I do regional , já equilibrada sob os cuidados do Dr. Belísio, e tantas outras que virão, o que será feito com elas. Na realidade não suportamos mais tanta injustiça com a população carente da nossa região.
Este é um desabafo de quem gosta do que faz e principalmente não cala e nem tem medo de retaliações, afirmo e assino embaixo, esta cidade não tem estrutura para salvar vidas . Não tenho acesso ao senhor governador Robinson Faria, eleito em 26 de outubro e por isso peço que compartilhem está história para ver se chega aos seus ouvidos, principalmente vários contra parentes que tem aqui no Seridó. Que hoje meu dia seja mais tranquilo e que Deus continue morando aqui pertinho de mim. ”

Dr. Elísio Galvão

Via V&C Artigos e Notícias


Compartilhe:
01/04/2014
Por Walter Clemente às 14:03h.

Profissionais da Saúde promovem evento enfocando violência contra a mulher, na zona Rural de Santana do Matos

IMG-20140331-WA0019
O enfermeiro Leonardo fazendo sua explanação

Nesta segunda-feira, 31 de março, foi realizado um evento dentro do Programa de Atenção Integral à Mulher, da Cidade de Santana do Matos. O evento, que foi realizado no Povoado de Santa Tereza, zona rural daquele Município, e contou com a presença de 70 mulheres, teve à frente o enfermeiro Leonardo, com o importante apoio da psicóloga do Crás local, Cindy. 

A psicóloga Sidy, fazendo sua explanação
A psicóloga Sidy, fazendo sua explanação

Na oportunidade, os profissionais palestrantes abordaram o problema da violência contra a mulher. Dentre outros recursos usados na palestra, várias imagens de violência contra a mulher foram projetadas, no intuito de conscientizar as presentes, no sentido de estas  não aceitarem a violência contra sua pessoa.

O tema das palestras se deve ao dia 08 de março (dia internacional da mulher) e também, pelo motivo de este ser um assunto que está cada vez mais em foco, no cenário das famílias brasileiras, além de ser considerado um problema de saúde pública.


Compartilhe:



Buscar

Parceiros

Anuncie Aqui